Obediência

Quero um querer que não me pertence.

Pertenço aos desejos que não são meus…

Vindos de dores que não se apagam.

Não há grito! Não há desejo!

Apenas a obediência do não querer.

A dor do não ser.

Seu.

O contentamento dos papéis.

O desejo noturno do amanhecer!

Agora, não mais desvanecer.

5 comentários:

▒▓█► JOTA ENE ® disse...

.
.....oooO.............
....(....)....Oooo....
.....)../. ...(....)..
.....(_/.......)../...
.............. (_/....
... PASSEI POR .......
.......... AQUI ......
......................

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

"Pertenço aos desejos que não são meus…"... Excelente isso, Karla.

Parabéns pelo espaço novo e bem-vinda de volta.

Beijão

Ricardo Soares disse...

belo novo espaço... vc não disse que tinha endereço novo... bj e boa sorte... tô linkando...

Danitza disse...

Ei, Professor!
Verdadeira parábola do filho pródigo.

Abraços e é isso, a gente começa a colocar as coisas pra fora e não aguenta mais fazer diferente.

Obrigada por ser o maior incentivador disso tudo.

Beijão também!

Danitza disse...

Ei, Ricardo!

Comecei agora a pouco, vamos ver o que me aguarda.

Obrigada pelo desejo de boa sorte.

Beijos, também estou linkando e seguindo...