Os hormônios e as variações dos instantes


A hora do colo.
A hora do choro.
Do riso tenso e impaciente.
Do cansaço.
Da irreflexão.
Ainda assim... tudo contido!

É a hora do sorvete.


Ilustração: Carlos Lascano

4 comentários:

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Quem vive em ESTADO POÉTICO não "contém" tanto assim (felizmente!).
Obrigada! Volte sempre, please!
A maioria é meio longuinha (como o próximo, p. ex.), porque é o ensaio para um sonhado livro.
Sem o olhar e os (aguardados) toques de vocês ficaria sem sentido...
+PARABÉNS! E tomemos sorvete!
BJS!

Danitza disse...

Se não transformamos boa parte da vida em poesia, tudo se torna loucura.

Moça do Fio disse...

Nada como um bom sorvete para fazer a esperança reaparecer junto com a certeza que tudo dará certo.

Uma pergunta: o sorvete pode ser azul? Diz que sim! ;-))

Beijobeijo.

Danitza disse...

Posso dizer que ele garante o instante...rs.

Pode sim, pode ser azul. Ele é de chicle.

Beijos também